Amsterdam

Os motivos que levam um turista visitar Amsterdam são os mais variados possíveis, mas os principais são o Turismo Sexual e o de Negócios, o primeiro graças ao Red Light District uma zona de prostituição onde as mulheres se encontram na vitrine à livre escolha e negociação uma vez que isto é legalizado no país assim como o uso de algumas drogas; já o turismo de negócios se deve principalmente pelo país ter o maior porto da Europa e ser um dos principais exportadores.
 
Mas nem só de sexo, drogas e business vive Amsterdam, fiquei totalmente surpresa e encantada com o que vi por lá. A cidade é de primeiríssimo mundo, seus habitantes tem renda super elevada para a média da Europa o que é perceptível à primeira vista com lugares limpos por onde quer que você passe, pessoas educadas e prestativas que vão e vem em suas milhares de bicicletas, transporte eficiente e responsável ambientalmente falando, o governo da Holanda tem como sua princial meta a perseguição das menores taxas de desigualdade social e ao meu ver vem alcançando isto.

 
 
 
A mesma Amsterdam do red light district é a Amsterdam dos canais e lindos parques, uma cidade cheia de charme que atrai também os casais em busca do romantismo desse cenário, a visita me fez constatar que as pessoas não vêm somente em busca dessa liberdade sexual tão propagada mas principalmente em busca da liberdade cultural pois com seus milhares de museus de arte Amsterdam tem programações que agradam a todos, em qualquer estação do ano.


Como chegar: O trem-rapido Eurostar é a melhor forma de chegar à Amsterdam, ele liga  a cidade à Paris, Londres e Bruges. Partindo de outras cidades proximas é possivel pegar trens normais, eu cheguei de avião vindo de Veneza com o boy, resolvemos de ultima hora visitar a cidade então o ticket consequentemente não foi barato, mas não me recordo agora o valor.

Quando ir: Fuja do frio, essa cidade realmente sabe fazer você congelar, minha viagem foi no final do inverno (em Março) e ainda pegamos muuuuito frio por lá, o que influenciou bastante no nosso tipo de viagem, não pudemos curtir os parques nem andar de bicicleta, passear pelos canais era impossível, então optamos por fazer mais programações em lugares fechados, o fato de estarmos mega cansados afinal era o 4º país que visitávamos na mesma viagem também pesou para passarmos mais tempo dentro dos pubs bebendo cerveja.

Onde ficar: Em Amsterdam vi um negócio que ainda não tinha visto em nenhum lugar, no aeroporto na chegada fomos atrás de informações sobre hospedagem já que não tínhamos nenhuma reservada e assim que saímos pela porta do desembarque nos deparamos com um painel com fotos e dados de vários hotéis, assim como um telefone ao lado de cada um deles, ou seja caso vc se interessasse por algum era só pegar o fone que o aparelho discava automaticamente pro hotel e você poderia consultar valores e disponibilidade. Achei o máximo! Escolhemos um hotel simples, três estrelas e na beira de um canal, com uma vista bem legal do nosso quarto. Para uma escolha de ultima hora e super apressada pois chegamos tarde da noite, ele foi aprovado, tem ótimos croissants no café da manhã e apenas um problema imperdoável: não tem elevador, tivemos que subir as malas de escada (ou melhor o Ricardo teve) :(

Nosso hotel de nome esquisito

A vista do quarto

Legal olhar pela janela :)
O que ver e fazer: Quando chegamos em Amsterdam estávamos cansados então resolvemos curtir a cidade descompromissados com o turismo, sem aquela obrigação de ver o máximo de coisas possível, nossos pés doíam mas ainda assim era impossível não sair andando pelas ruas da cidade, mesmo com muito frio Amsterdam é sedutora demais para que você se negue a desbrava-la a pé, o fato de ser plana e tudo muito perto facilita.


Os prédios coloridos e todos bastante parecidos fazem com que a cidade pareça de boneca, os canais só fazem reafirmar essa idéia, um cenário realmente de encher os olhos mas que muitas vezes nos nos fazia ficar confusos, desconfiando que tínhamos passado pelo mesmo lugar minutos antes ;))


A Damrak é a rua da estação e uma das principais da cidade, caminhando por ela vimos o Museu do Sexo e resolvemos entrar, é possível encontrar várias outras opções de lazer por aqui, como bares, restaurantes, lojas, etc. mas fuja dela se tiver procurando pela Amsterdam dos canais com aquele ar mais bucólico pois definitivamente não está nessa larga avenida o melhor da cidade.

 
 
 
Rijksmuseums é o prédio mais importante da cidade e também um museu bem interessante com pinturas de grandes artistas holandeses. É aqui que está a Ronda Noturna um dos quadros mais valiosos do mundo e o principal atrativo deste museu, sempre cercado por milhares de amantes de arte.



O Museu do Van Gogh é imperdível, mesmo para quem não gosta de arte ou sabe o mínimo ele ainda assim é interessante obviamente devido a historia de vida desse grande artista que com toda sua loucura criou perfeitas obras-primas.

Fomos num dia chuvoso e acabei ficando sem fotos :(



É impossivel visitar Amsterdam sem conhecer a historia de Anne Frank, uma menina que na época da Segunda Guerra Mundial viveu por dois anos no sótão de uma casa com seus pais, ela registrou todo o sofrimento e perseguição que sofreram pelo regime nazista em seu diário, hoje um livro que rodou o mundo e fez da casa que viveu um dos museus mais visitados da cidade e sem dúvida, uma programação turistica de tocar a alma.

Amsterdam é também famosa por suas flores que chegam em diversas partes do mundo, mais especialmente pelas tulipas rosas, amarelas, vermelhas, de todas as cores, elas estão no cartão postal da cidade e é possivel até visitar os muitos campos de plantação de tulipas.

Não deixe de experimentar os deliciosos queijos Gouda e Egam, tipicos e famosos queijos holandeses preparados como em nenhum outro lugar.

E também conhecer a historia da mais famosa de suas cervejarias: a Heineken! Seu museu é bem divertido, bastante interativo e pra quem gosta de cerveja vai amar o passeio.

 


 

 
 
Amsterdam é uma cidade como nenhuma outra, dificil de comparar e muito fácil de gostar, ela vai te surpreender de uma tal forma que logo você chegará a conclusão de que a menosprezou reservando tão pouco tempo para conhece-la. 
 
 



 Bjos,

By Rê






 

4 comentários:

  1. Renata, excelentes relatos!

    Estive em Amsterdam em agosto/2013 e voltei simplesmente APAIXONADA pela cidade!

    ResponderExcluir
  2. Tivemos uma mesma impressão parecida então ;))

    ResponderExcluir
  3. Renata, você lembra o nome do hotel que se hospedou??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ligia,
      Hotel Hocksbergen, o da foto lá em cima ;)

      Excluir