Pisa


As maiores cidades do Noroeste da Toscana são Pisa e Lucca, nós tivemos a chance de visitar ambas e ainda Pietrasanta. Fizemos bate e volta saindo de Florença, no primeiro dia para Pisa e Pietrasanta de trem e no segundo dia de carro à Lucca.
 
Se tivesse que recomendar o passeio faria diferente, optaria por passar o fds nessa região, quem sabe dormir em Lucca e visitar as outras cidades de dia como Viareggio (que pareceu bem interessante no verão, pois nossa ida foi de certa forma pouco produtiva, já que optamos por fazer uma viagem sem pressa, acabamos sentando para comer, tomar vinho enfim curtir o lugar e sobrou pouco tempo para conhecer mais de cada cidade que passamos.


 
 


Como chegar: Pegamos o trem na estação de Santa Maria Novelle, no inicio da manhã, descemos no centro da cidade minutos depois e saímos caminhando com o mapa em busca dos principais pontos turísticos da cidade, não foram preciso mais do que alguns poucos passos para perceber o quão animada e vibrante é esta cidade, os jovens estão por todos os lados, eles são moradores e não turistas que vão à Pisa para frequentar as famosas universidades e movimentar a economia local.
 

 
Circulando: A cidade é bem compacta e como quase todas as outras da toscana o centro histórico tem as zonas de trafego limitado portanto ir de carro pode ser um problema.
 

Acomodações: Disse que seria melhor ficar em Lucca devido a fama da cidade não ter uma boa oferta de acomodações de qualidade.
 
História: No final do séc. 10 Pisa se tornou uma grande potencia marítima pois tinha uma base naval importante e um dos principais portos comerciais da época, concorrendo com o de Genova e Veneza. O sucesso do comércio com o Oriente neste período foi fundamental para o desenvolvimento da cidade em termos culturais e arquitetônicos. Porém os projetos artisticos, literários e científicos só ganharam força quando Pisa se envolveu em conflitos imperiais e por fim caiu sob o domínio de Florença e a corte dos Medici os incentivou restabelecendo a universidade local onde estudou o mais célebre pisano: Galileo Galilei! Com a Segunda Guerra Mundial cerca de 40% da cidade foi destruída.

 
Turismo: Como muitos devem saber a principal atração turística de Pisa é uma obra que deu muito errado, a Torre de Pisa que fica na praça conhecida como Campo dei Miracoli, nessa praça também estão o Batistério e a Catedral, a torre é realmente muuuito torta, você chega até se sentir mareada de ficar olhando muito, a construção dela começou em 1173, mas foi interrompida anos depois devido ela está tombando, encontraram uma solução compensando o peso dela para o outro lado com colunas, o que não resolveu em definitivo pois ao longo dos séculos ela continuou inclinando em média 1 metro por ano. Mas parece que em 1993 resolveram o problema de vez fixando cabos de aços aos edifícios vizinhos mantendo ela reta temporariamente para que fossem tiradas toneladas de areia e argila isso acabou fazendo com que a torre inteira afundasse mais e resultou numa diminuição da inclinação. Na verdade, os outros prédios que se encontram nesta prça também são ligeiramente inclinados, isso tudo devido a mistura de areia e argila q se estende cerca de 40mt de profundidade.




Ao longo do Arno se encontra o  Palazzo Blu um belíssimo prédio do séc. 14 muito bem restaurado e sede de grandes obras pisanas, sua fachada azul e voltada para o rio são encantadoras. Já a Chiesa di Santa Maria dela Spina é um perfeito exemplo do gótico pisano, ricamente ornamentada por fora com espirais e estatuas, por dentro é simples e transmite a calma adequada para uma reflex~çao.

Encantada por essa igreja





Comendo em pisa: Nosso almoço foi na Osteria dei Cavalieri, um autentico restaurante italiano, pequeno, com animado atendimento e bons vinhos. O restaurante não tem luxo, sua fachada é pequena e discreta, por outro lado estava lotado e na sua porta exibem vários prêmios e indicações, dentre eles Michelin, selo de excelência do Trip e prêmios locais. Como eu estava sem fome optei por experimentar neste dia a tripa fiorentina, um prato arriscado, e que eu provavelmente sabia que não ia me agradar.
 



                  Entrada                                   As tripas fiorentinas                                           Sobremesa cheesecake      




Nenhum comentário:

Postar um comentário