Usando o Uber na Europa

Na cidade onde moro no Brasil não tem Uber ainda portanto eu nunca tinha usado o serviço deles. Minha primeira experiencia foi agora na última viagem para Europa e usei ele em várias cidades, por isso vou falar com conhecimento de causa.



Primeiramente, é preciso baixar o app para o cel e fazer um cadastro bem simples e rápido onde é preciso inserir um cartão de crédito e se sua viagem for para o exterior é preciso que este cartão esteja liberado para tal uso.

Na medida que você for mudando de cidade ou país o Uber rastreia sua localização automaticamente. Antes de solicitar um carro, o aplicativo lhe dá a estimativa para a chegada do Uber mais próximo de você e também o valor. Na Europa normalmente encontrávamos 3 tipos de carros, o Uber normal que leva até 2 passageiros, o UberX que é até 4 e o Uber Black que são sedãs novos pretos.

Prós:
- Facilidade para conseguir um carro - Em cidades onde você só consegue pegar táxi nos pontos de táxi, como Paris, é excelente o uso desse serviço, uma vez que ao solicitar o carro você escolhe onde quer que ele lhe pegue, não precisa se deslocar atrás de pontos e muito menos no frio.
- Preço - Os valores do Uber estão sempre muito abaixo de um táxi normal. Um percurso curto e rápido com eles dava algo entre 5,50 euros e usando Paris mais uma vez como exemplo, lá o taximetro dos taxis normais já começa a contar de 7 euros.
- Educação - Os motoristas são em sua maioria mais educados e tratam melhor o turista do que os locais que dirigem os táxis.
- Segurança - Você pode ficar tranquilo, sem se preocupar se o motorista fará o percurso mais longo, uma vez que o preço é pré-fixado.

Contras: 
- Pagamento - A única coisa que não aprovei é o fato do pagamento ser feito apenas em cartão, eu entendo o lado da segurança do ponto de vista dos prestadores do serviço, evitando que solicitem à toa ou cancelem por qlq coisa, mas para o turista brasileiro o pagamento em cartão fora do país tem a incidência de IOF e outras taxas que acaba quase por igualar o preço deles ao táxi comum e assim deixando de ser interessante.

De um modo geral se você está de viagem marcada pra lá e precisar, eu super recomendo! ;)

Os restaurantes brasileiros que estão entre os melhores da América Latina

Único restaurante brasileiro fora do eixo Rio-São Paulo, foi o Remanso do Bosque, de Belém, que ficou com a 44ª posição este ano. Os irmãos Thiago e Felipe Castanho foram à Cidade do México para a premiação dos 50 melhores restaurantes da América Latina de 2016. 

Descubra quais foram os outros no link abaixo.
Fonte: Estadão 


Veneza, 10 dicas de turismo!

Veneza é o sonho de consumo de todo viajante apaixonado, também não é para menos, pouquíssimos lugares no mundo são tão cheios de personalidade e capazes de despertar suspiros até nos mais céticos e nada românticos quanto Veneza.






Palacio dos Doges e Ponte de Paglia

Seus canais cortados por belas pontes são cercados de Palácios medievais e ainda contam com dezenas de gôndolas que desfilam silenciosamente para todos os lados, é um cenário realmente único e capaz de despertar as mais diversas emoções. É por isso que pessoas do mundo todo sonham um dia conhece-la. 

Veneza, mesmo que rápido, é uma alternativa para muitos. Eu mesma, estive lá a primeira vez de passagem e não tive tempo para conhecer nada mais do que o bairro de San Marco, onde ficam a praça e os principais pontos turísticos da cidade. Pra completar o tempo não estava tão bom, então precisei voltar para tirar essa primeira impressão não muito agradável que ficou.

Na minha volta fiquei por 3 dias inteiros e consegui conhecer e sentir o clima de Veneza melhor, a ponto de poder dividir com vocês. Então, vamos lá. Pra começar a cidade está dividida em 6 bairros, ou sestiere (em italiano), que são: 1) San Marco e 2) San Polo, sendo os mais centrais e importantes; 3) Cannaregio e 4) Castello que concentra uma gama de edifícios históricos de arquitetura gótica que tornam importante sua visita, caso tenha tempo; e  5) Santa Croce e 6) Dorsoduro que estariam em ultimo na minha lista e só recomendo caso tenha tempo sobrando ou ja conheça bem Veneza.


Como chegar: 
É possível chegar de trem ou de avião em Veneza, mas como o aeroporto fica longe a melhor opção é trem, uma vez que você desce na estação central de Santa Lucia. Ja saí de Roma e a viagem dura 3h e meia e também fui de Florença e teve duração de 2h. Milão, se não me engano fica a 2h e meia. É possivel comprar os tickets em qualquer estação das cidades que citei, e os preços podem variar de acordo com a temporada. Lembro que saindo de Florença paguei algo entre 15 e 20 euros.
Caso vá de avião, na chegada você pode pegar o Aerobus 5 que leva até a estação de Santa Lucia e de lá toma um vaporeto para o centro.


Onde ficar: 

Veneza é uma cidade pequena onde conseguimos fazer quase tudo andando. Então, para quem está querendo economizar hospedar-se em Castello West é uma ótima opção, além de ser uma área agradavel tem hoteis economicos, sem luxo e fica apenas cerca de 10 minutos andando do centro.Eu optei por um hotel bem central que ficava do lado de tudo e fomos muito felizes na escolha, pois até as idas ao banheiro na hora do turismo conseguíamos ir no nosso próprio hotel. Chama-se Hotel Bel Sito & Berlino e tem uma excelente relação custo beneficio.

                        



  
Vista do nosso quarto

O que ver e fazer: 
1) Piazza San Marco é o coração e a alma de Veneza então qualquer roteiro turistico não pode deixar de passar por aqui, inclusive mais de uma vez se for o caso. Pra quem acorda cedinho, tem a cerimonia de hasteamento da bandeira pelos Carabiniere. O final da cerimonia é marcado pelo toque do sino da Torre de Campanille que fica bem ao lado. Em torno da praça também estão a Basílica de San Marco e o Palácio Ducale.  No bairro de San Marco ficam também a Ponte dos Suspiros e a Torre do Orologio.

Basílica de San Marco
A Piazza alagada e a Procuratie ao fundo




A basilica e a torre da Campanile ao fundo.

2) Em seguida saia para caminhar por Veneza, ande sem roteiro pré pronto, permita-se perder pelas estreitas ruas, cruzar canais, atravessar pontes, observar o movimento de centenas de turistas que falam diferentes idiomas. Visite igrejas, palácios e o comércio local. Espero que você pegue uma época tranquila, tanto de publico quanto de tempo, porque se Veneza tem dois defeitos estes são: a superlotação e os alagamentos. Eu tive que encarar o segundo, mas nada que tirasse o brilho do nosso passeio.


Caminhe até chegar ao 3) Grand Canal (na foto abaixo) que é o maior canal de Veneza, ele corta a cidade ao meio e 4) Aproveite para andar de vaporetto (ônibus-barco) que é o principal meio de transporte da cidade, 4) Pegue o nº 1 que passa por vários canais de Veneza e é bem interessante o passeio.





Basilica de Santa Maria de la Salute imponente a direita

Às margens do Grand Canal você se depara com inúmeros palacetes do séc 17 e 18 e passa também pela 5) Ponte Rialto. Em torno da Ponte tem agradáveis e convidativos restaurantes, com mesinhas ao ar livre.


Ponte Rialto






6) Não deixe de fazer o famoso passeio de gôndolas pelos canais de Veneza, pois apesar de caro, uma visita a Veneza não estaria completa sem esse passeio. Além da arquitetura que traduz os tempos de luxo e riqueza da cidade é impossível não notar a destreza dos gondoleiros que por várias vezes me deixaram tensa achando que sofreríamos um acidente a qualquer momento, kkkkk...











7) Saia a noite para jantar em uma tipica osteria italiana, comer uma boa massa acompanhada de um Ombria (taça de vinho da casa).
Veneza é cheia de lugares tradicionalíssimos, por isso minha duas sugestões são pra lá de antigas. Como restaurante é o Vino vino, dica da autora de "Mil dias em Veneza" e como bar, não poderia ser outro se não o mais antigo da cidade: Harry's bar.
Mas também não deixe de experimentar sanduíches e outras guloseimas pelas ruas durante o turismo, eles realmente valem a pena!





8) Se tiver tempo, faça passeios de bate e volta para Murano para visitar as fabricas de cristais e se encantar com o método de produção deles, além de fazer algumas comprinhas, é claro.

9) Visite o Lido, a famosa praia dos ricos. Fica apenas alguns minutos fora do centro de vaporeto.

10) Fuçar lojinhas! Que os produtos chineses invadiram Veneza, that's true!! Mas ainda é possível achar coisas legais, papelarias artesanais, aquarelas, as famosas e lindas máscaras do carnaval de Veneza, enfim tem para todos os gostos, só não vale sair de lá sem nada.





Espero que todos sintam a magia de Veneza e saiam de lá já querendo voltar.

Bjos,

by Rê,.



Cenário do Filme "Como eu era antes de você"

Como o post do cenário do filme "Encontro de Casais" bombou aqui no blog resolvi fazer outro no mesmo estilo pra tirar as duvidas daqueles que acabaram de assistir o  Filme "Como eu era antes de você", inspirado no livro da Jojo Moyes.



 Como a autora é inglesa a maior parte do filme é gravada no Reino Unido, o castelo onde moram os Traynors fica em Pembroke, no país de Gales, uma cidadezinha medieval que além do lindo Castelo no alto de uma colina ainda emprestou suas ruelas para dá vida à historia de Emily Clarke.



A casa de Will que aparece nos fundos do Castelo, na verdade é a Wytham Abbey, uma casa em Oxford, condado no sudoeste da Inglaterra.

As cenas em que Emily e Will aparecem aproveitando a praia nas ilhas Mauritius na verdade foram gravadas em Puerto Pollensa, Mallorca, na Espanha, mas especificamente do Hotel Barcelo Formentor.



Mauritius ou Mallorca, ambos totalmente ok pra mim!! ;)
E pra você, que tal?!
By Rê.

Frankfurt em 1 dia, ou menos!

Estive em Frankfurt de passagem, menos de um dia, mas como a cidade não é tão grande e muito bem organizada, deu pra fazer um passeio legal e ter uma boa noção.

É possível chegar no centro da cidade de táxi, ônibus ou trem, a ultima opção é sem duvidas a melhor delas, pois é feita em apenas 20 minutos, o que facilita sua vida se tiver apenas 5 ou 7 hs por lá.

Comprei o bilhete do S-Bahn (trem rápido), de ida e volta para o centro da cidade, no Terminal 1 onde fica a estação e custou 4 euros.

Quando você sai da estação na Praça Römerplatz se depara com toda aquela ideia que você sempre teve da arquitetura alemã. Muitos prédios históricos do século 14 e 15 beeem típicos! O que muito poucas pessoas sabem é que a maioria desses prédios foram destruídos na II Guerra Mundial e reconstruídos depois. Inicie e termine seu passeio por aqui, não esqueça de reservar um tempinho na volta para sentar nos cafés e restaurantes da praça.

Estação Central
Apesar de não ser muito fã, reconheço que quando se tem pouco tempo, a melhor forma de conhecer o principal de uma cidade é fazendo um passeio naqueles ônibus de turismo double deck. Por isso embarquei em um, escolhi um trajeto que durava cerca de 1h e meia e abaixo segue os lugares que considerei valer a pena o drop off.

Antes de pegar o ônibus, alí mesmo onde você desceu, está o centro histórico que fica ao norte do rio, nesta área estão a catedral (Dom) e a Torre da Catedral. O nome, Römer, dado a praça é o do prédio que hoje é a câmara municipal.

Römer Platz

Catedral e Torre ao fundo


Romemberg

Caminhando em direção ao rio, você se aproxima do Eiserne Steg, uma ponte do século 19, depois você chega a Rententurm (Torre Customs), uma torre do século 15 fortificada em estilo gótico tardio, ligado ao Saalhof, um antigo castelo do século 12 que mais tarde foi modernizado, mas até hoje nunca completamente destruído. O rio em si pode ser um excelente passeio no verão quando seus arredores ficam lotados.

Bem la no fundo a Eiserne Steg


Do ônibus você tem uma boa noção da cidade, acompanha um pouco do seu ritmo e funcionamento. Não deixe de descer no  Jardim Arqueológico (Archäologischer Garten) e na Ópera Antiga (Alte Oper Frankfurt).






E termine seu dia comendo uma típica salsicha frankfurter com mostarda e cerveja!



 


 


By Rê Antunes.





The Grotto!!

Muita gente sabe que a Tailândia é cheia de paisagens de tirar o folego e pratos deliciosos, imagina juntar então essas duas características num só lugar, o resultado é: um lugar único!! Onde você terá uma daquelas experiencias que não tem preço.


O The Grotto é na praia de Phranang Beach, um lugar super romântico que fica dentro do luxuoso  Hotel Rayavadee, o melhor de Railay Beach. A caminhada até la é por dentro das rochas e dependendo de onde você estiver talvez precise atravessar a ilha, mas é uma caminhada curta, nada mais do que 15 minutos.







Para quem está apenas passando é possível ver o restaurante da praia, a entrada depende muito da época, ou seja, se ela estará liberada também para não hospedes ou apenas para hospedes. O ideal é que você confirme antes e tente fazer uma reserva, pois em determinada época do ano eles abrem apenas para drinks e petiscos.





Lugar mágico!

By Rê.